• Português do Brasil
  • English
  • Español
  • العربية

Brasil Sweets and Snacks fecha USD 1,7 mi na SSME

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Realizada desde 2013, a Feira Sweet&Snacks Middle East (SSME) vem crescendo a cada ano em número de participantes e de oportunidades. Os resultados também são sentidos pelos participantes do Brasil Sweets and Snacks, projeto setorial de promoção de exportação desenvolvido em parceria entre a ABICAB e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Em 2015, as empresas brasileiras de confectionery presentes no evento, em Dubai, fecharam US$ 1,7 milhão em negócios, valor três vezes superior ao obtido em 2014. Em negócios futuros, o salto também foi significativo: estão previstas vendas em torno de US$ 7 milhões pelas integrantes do Brasil Sweets and Snacks, crescimento de 220% em relação ao projetado no ano passado.

A feira está se tornando cada vez mais conhecida entre os clientes. O seu ponto mais positivo é a qualidade dos visitantes que, em sua maioria, são especificamente do nosso setor”, observa Luiz Fiorio, da Riclan. A empresa foi uma das nove brasileiras que marcou presença esse ano na SSME. Em 2013, três fabricantes participaram, contra sete em 2014, todos sempre com apoio do Brasil Sweets and Snacks.

A Apex-Brasil apoiou ainda a indústria nacional por meio de um serviço de prospecção de potenciais compradores na feira, visando aumentar a exposição dos produtos brasileiros junto aos visitantes e fomentar negócios. Estiveram na SSME 2015 Riclan, Docile, Dori, Jazam, Montevérgine, Peccin, Simas e Toffano. A Chocolates Garoto também participou através do espaço Institucional Brasil Sweets and Snacks. Entre os países mais impactados por essas marcas estão Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Iêmen, Omã, Irã, Palestina, Quênia, Somália, África do Sul, Jordânia, Argélia, Libéria, Ilhas Maurício, Kuwait e Cazaquistão.

O saldo do evento foi extremamente positivo. Todas as empresas brasileiras gostaram e querem voltar no próximo evento, inclusive a Chocolates Garoto, como expositor. O Oriente Médio se confirma como um mercado estratégico e relevante para o Brasil”, conclui Romualdo Silva, vice-presidente de Exportação da ABICAB.