• Português do Brasil
  • English
  • Español
  • العربية

Entrevista Exclusiva: Especialista americano fala das oportunidades para exportação brasileira

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Em meio à crise econômica que o Brasil vivencia, há, sim, uma boa notícia para as empresas e produtos brasileiros. É hora de exportar! A dica é do especialista americano, Greg Seminara, fundador da Export Solutions, que veio a São Paulo para o seminário "Varejo Americano, uma estratégia diferenciada para competir nos EUA", evento promovido pela Apex-Brasil no início do mês.

Os Estados Unidos, tanto em tamanho de mercado como em proximidade geográfica, sempre se destacam. “O Brasil tem dois pontos a seu favor nesse momento: o câmbio favorável e as Olimpíadas. Os americanos amam este evento e adoram o estilo de vida dos brasileiros. E o mais importante: adoram variedades gastronômicas e estão abertos a isto”, comenta.

Com a queda na renda do americano muitos deixaram de comer fora, porém mesmo consumindo em casa, existe a necessidade de indulgência. Além disso, uma grande quantidade de candies e chocolates são consumidos no País em datas como Páscoa, Halloween, Valentine’s Day e Natal. “Todos precisam disso, ninguém dispensa, porque faz qualquer um sorrir depois de um dia cheio”. Mas o que chamaria a atenção de um mercado que já tem de tudo? “O Brasil tem gostos, cheiros, matéria-prima exclusivas e diferenciadas. É preciso levar algo novo, algo que chame a nossa atenção. Tem muito espaço para isso”. Sobre oportunidades no mercado americano, Greg declara que existe hoje 1,4 milhão de brasileiros vivendo legalmente nos EUA e pontua cinco passos para as empresas brasileiras começarem a ter sucesso ao construir sua marca no exterior:

Identificar esse grande núcleo brasileiro – Ir onde os brasileiros estão e vender para quem já conhece sua marca. Quem vive fora da sua terra natal tem necessidade de matar a saudade, nem que seja por meio da comida.

Turistas x Food Service – Os Estados Unidos recebem 2,5 milhões de brasileiros todos os anos. Trata-se de uma fonte extensa para experimentação.

Supermercados regionais –Vender primeiro para as pequenas cadeias regionais de supermercados.

Cadeia nacional – Partir na sequência para os grandes supermercados.

Varejo americano – E, por fim, então executar a venda para todos os canais do varejo americano.

Caminho para o sucesso – Antes de executar as cinco fases para exportar para os Estados Unidos, Seminara reforça que as empresas brasileiras devem ter o mesmo cuidado lá fora como teriam no próprio País. “É preciso conhecer o mercado, entender o público, visitar pontos de venda, fazer planejamento, investir em marketing e força de vendas, senão o projeto não dá resultado”, declara.

Para outras dicas e informações, acesse: http://www.exportsolutions.com/exportTips.aspx