• Português do Brasil
  • English
  • Español
  • العربية

Exportações de confectionery e snacks do Brasil crescem mais de 35% em 2018

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

As exportações de confectionery e snacks do Brasil tiveram um forte aumento de 35,52% em 2018 em relação ao ano anterior, alcançando US$ 679,9 milhões. A expansão confirma a tendência que já vem desde 2017, quando as exportações registraram crescimento de 19,4% em relação a 2016. As vendas externas de chocolate aumentaram 80,8% no ano, um crescimento significativo que reflete o renascimento da produção de cacau no país, que vem sendo feita de forma sustentável, e a fabricação de produtos de confectionery mais sofisticados, que vêm ganhando reconhecimento em concursos internacionais.

A previsão é de que as exportações se mantenham aquecidas, segundo o Brasil Sweets and Snacks, um projeto de promoção comercial criado em parceria pela ABICAB (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

O principal mercado para os produtos de confectionery brasileiros continua sendo o Mercosul, bloco econômico que reúne Argentina, Uruguai, Paraguai, além do Brasil, e tem Chile e Bolívia como associados. As exportações para o Mercosul alcançaram US$ 133,6 milhões, seguidas das vendas para a África (US$ 127,6 milhões), Europa (US$ 111 milhões) e América do Norte (US$ 86,8 milhões). A África foi o destino que registrou o maior crescimento das vendas externas de confectionery e snacks, refletindo o dinamismo da região.

As exportações de chocolate foram as que mais aumentaram, e atingiram US$ 195,2 milhões no ano. O principal mercado para o chocolate brasileiro foi o Mercosul, para onde foram exportados o equivalente a US$ 73,3 milhões do produto.

Em segundo lugar no ranking de crescimento, as vendas de amendoim, com aumento de 36,6% para o produto in natura (US$ 266,1 milhões) e 24,8% para amendoim processado (US$ 26 milhões).  As vendas de balas e gomas tiveram expansão de 8,8%, chegando a US$ 158,6 milhões.

Também em destaque, as exportações de doces típicos brasileiros – feitos de amendoim, como paçoca e pé de moleque – além do tradicional doce de leite e doces de frutas, que aumentaram 16,3%, chegando a US$ 24,3 milhões. Já as vendas externas de barrinhas de cereais cresceram 13,5%, alcançando US$ 16,5 milhões.

               “A indústria brasileira de confectionery está passando por um período de exportações crescentes, que refletem os fortes investimentos em automação e tecnologia feitos pelas companhas brasileiras e que permitiram criar produtos mais sofisticados, que acompanham tendências internacionais, como a maior atenção à saúde e processos sustentáveis de produção”, diz Ubiracy Fonseca, presidente da ABICAB.

               Para manter o ritmo, a ABICAB já preparou um forte calendário de promoção comercial no mercado externo em 2019, que inclui visitas a seis países e que começou em janeiro com a participação na ISM, maior feira internacional de confectionery e snacks, em Colônia, Alemanha.

 

 

 

SOBRE A ABICAB – Fundada em 1957, a Abicab representa os principais fabricantes de Chocolate, Amendoim, Balas e derivados do País junto às esferas pública e privada, seja no Brasil ou no exterior. A indústria brasileira nestes setores fatura cerca de R$ 25 bilhões e gera mais de 42 mil empregos diretos, sendo considerada uma das mais relevantes do mundo, tanto em valor de venda quanto em qualidade e segurança dos produtos. A entidade, que representa atualmente 92% do mercado de chocolates, 93% do mercado de balas e confeitos e 62% do mercado de amendoim, tem como objetivo central implementar ações de valorização, promoção e fomento dos mercados internos e externo nestes setores.

SOBRE O PROJETO BRASIL SWEETS AND SNACKS – O Projeto Brasil Sweets and Snacks Project foi desenvolvido com o objetivo de fortalecer e promover o setor, sendo uma das principais atividades da ABICAB. Criado em parceria com a Apex-Brasil em Março 1998 com o objetivo de promover produtos brasileiros a nível internacional ele apoia atualmente 43 empresas que exportam para mais de 140 países.

Participe: www.brasilsns.org.br/br/participe 

Sobre APEX-BRASIL – A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. Para alcançar os objetivos, a Apex-Brasil realiza ações diversificadas de promoção comercial que visam promover as exportações e valorizar os produtos e serviços brasileiros no exterior, como missões prospectivas e comerciais, rodadas de negócios, apoio à participação de empresas brasileiras em grandes feiras internacionais, visitas de compradores estrangeiros e formadores de opinião para conhecer a estrutura produtiva brasileira entre outras plataformas de negócios que também têm por objetivo fortalecer a marca Brasil.

For further information, please contact AJA Media Solutions:

Marcio Damasceno (Berlin): +49 179 8759154– damasceno@ajasolutions.co.uk

Maria Luiza Abbott (London): +44 772 0297199 – cuca@ajasolutions.co.uk